Social Icons

22 agosto 2009

Delírio Emocional de 1º grau: Lembranças, Saudades e Anestesia.

Parte I - Comportamento transitório protagonizado pelo velho Mr. Jack Daniel’s.

Trinta e cinco anos, formado em direito e funcionário público. Há cinco anos moro num apartamento em frente à praia. Vou muito bem de vida, obrigado. O trabalho é puxado, então aproveito a minha casa apenas nos fim de semana. Nos cinco dias úteis apenas chego e deito na cama torcendo pela manhã seguinte nunca chegar para que eu possa dormir até o início do próximo século. Meu apartamento é grande, tem vista pro mar e é bastante caro. O último adjetivo é o que o torna mais interessante e magnífico. Você pode morar num apartamento do tamanho de um ovo, abafado e cheirando a mofo, mas se disser “Hei cara! Meu apartamento é na beira-mar e custa uma fortuna!” Tudo fica mais atraente para os olhares alheios e seu ego atinge níveis altíssimos.
Sinergia, o que significa esse troço? O meu lar segue mais ou menos essa divisão: Sala de estar, suíte, cozinha, copa e varanda. Uma baita sala de estar e uma larga varanda. Deve ser legal sentar numa varanda como a minha e ficar conversando com os amigos até a noite chegar. Nunca veio ninguém ao meu apartamento. Só eu e o velho Mr. Jack Daniel’s. Passamos muitas noites de sábado naquela varanda. Eu olhando o mar, Mr. Jack derramando-se no copo de vidro ao som de alguma música deprê do Opeth.
Mr. Jack me escuta. Mr. Jack me junta quando estou em cacos. Mr. Jack é o meu redentor. Eu o amo, Mr. Jack. Compro vários dele a cinco anos, desde que me mudei para cá. Chegar num novo lar, largar o passado e pensar numa vida nova. Bem, o que melhor numa situação dessas do que a companhia de alguém como Jack Daniel’s?
Não tenho mais amigos. Estou ganhando bem demais para ter amigos ou familiares. Como tem gente oportunista nesse mundo, então é melhor nem arriscar! Mamãe morreu quando terminei minha faculdade então que vá pro inferno o resto da minha família. Vamos Jack, mostre-me o seu consolo agora! Mamãe não viu minha formatura, pois ela morreu. Papai não viu minha formatura, pois eu pareço ter morrido para ele. Tive pai até os meus 10 anos, depois o cara parece ter esquecido que tinha um filho. Ele não fugiu de casa, fez algo bem pior. Continuou morando conosco. Papai morreu por dentro, não entendo até agora o motivo. Por que, Mr. Jack, Por quê? Talvez depois de mais alguns goles você me faça entender um terço dos meus problemas. Aquela desgraçada da Sônia! Sim, a culpa foi dela também! Ela usur... Sur... Usurpou! Pou! Há! Há, há,há! Hoje você está demais, Jack. Continue assim, filho. A Sônia era uma mulata que trabalhava lá em casa! Mamãe a demitiu, aí papai ficou daquele jeito. Putz! Deixasse a desgraçada lá, mamãe! Papai lhe traria chifres, mas iria me fazer uma criança mais feliz.
Eu tinha amigos, Mr. Jack! Eu tinha! Só que eles sumiram! Eu pedi pra eles sumirem, mas pôxa! Pôxa! Por que não vieram atrás de mim? Não era pra ter seguido minhas ordens desse jeito! Eu tinha muitos amigos. Eram dois, mas eu sentia que eram vários. Jack, Jack, Eu posso chorar na sua frente. Não tenho vergonha. Até porque, acho que não tenho escolha.

(continua...)

Um comentário:

Fernando Falcão disse...

Finalmente li...
e só tenha uma coisa a dizer:
Dedé vc é um f.d.p., meu filho, adoreeei!